Alguém estava preparado para o impacto das mídias sociais na política?

Com as mídias sociais o nosso dia-a-dia sofreu um grande impacto, mas e no meio político? Alguém imaginava a dimensão e o impacto que sofreríamos? Na última eleição presidencial a campanha foi extremamente norteada para o meio digital, arrisco a dizer que esta evolução não tem mais volta, ou o político se adapta a realidade, ou deixará de ocupar cargo eletivo.  Para entender tudo isso, o político seja ele de qualquer esfera, municipal, estadual ou federal, precisa ter atenção a alguns tópicos para poder tirar o máximo proveito do meio digital e apresentar um marketing politico digital que impressione o seu público.

A corrida no meio digital começa bem antes do anúncio de qualquer candidatura.

Muito antes de se colocar oficialmente como candidato à um cargo eletivo, o indivíduo precisa estabelecer a sua presença no meio digital. Isto significa começar a definir e aplicar a sua estratégia de marketing político digital.  Por que isso é tão importante? Porque uma campanha política a qualquer cargo eletivo, trata-se de exposição, fidelização, relacionamento e converssão do voto. As ferramentas do meio digital facilitam a identificação de público alvo e a posterior comunicação de forma assertiva e direcionada a ele, gerando a exposição, o relacionamento, e com o tempo, a fidelização e a converssão de voto.

Para ter sucesso desenvolva uma estratégia realista.  

Defina e implemente um plano completo, com objetivos, estratégias e táticas, muito antes do lançamento oficial da campanha. Ter um plano ajudará e minimizar os erros, e ainda dará norte a equipe de campanha, para que ela tome decisões mais rapidamente. Outro ponto importante é entender os benefícios e os riscos do uso de mídias sociais para a imagem do candidato.

Tenha um plano de contingência

Por mais capacitada que a equipe de trabalho seja sempre ocorrerá erros. E o que fazer quando isso acontecer?

Os candidatos e equipes tem de desenhar um plano de contingência com as habilidades, funções e poderes de tomada de decisão de cada membro da equipe. Imaginem a seguinte situação, um membro da equipe posta em determinada rede social uma notícia sobre a campanha ou sobre o candidato, esse mesmo membro esquece de sair da conta do candidato e na sequência comenta a postagem com um elogio, ou seja, o candidato elogiando ele mesmo, vira motivo de desmoralização da campanha. Nesse caso quem da equipe está habilitado a consertar a situação? O que se fazer quando ocorrer algo desse tipo?

Se estiver previsto no plano de contingência, a tomada de decisão será muito mais rápida e assertiva, o ponto chave e mais importante, é capacitar as pessoas certas para tomar as decisões.

Conheça o seu público alvo 

O público alvo de um candidato é composto de jovens eleitores, eleitores de meia-idade, homens, mulheres, idosos, pessoas mais instruídas ou menos instruídas. O conteúdo e as ações de campanha devem ir de encontro com os anseios do público alvo escolhido, lembre que fazer conteúdo que tente acertar todos os públicos não será assertivo e nem efetivo. Por isso a importância de se conhecer as pessoas e seguidores do político.

Com o gabinete360 você pode facilmente cadastrar e segmentar seus eleitores, mapeá-los, e assim, produzir conteúdo específico para cada segmento.

Conheça nossos planos de assinatura em: https://www.gabinete360.com.br/planos/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos te ajudar?